Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/451149
Título: Navegação na Antártica: mudanças climáticas e uma projeção para o futuro.
Orientador(es): Oliveira, Vinicius
Autor(es): Pupe, Alexsander Marques
Palavras-chave: Navegação
Data do documento: 2013
Editor: Centro de Instrução Almirante Graça Aranha
Descrição: É um desafio dizer como a Antártica se apresentará nas próximas décadas. Com o ambiente mudando, tais mudanças são fundamentais para cientistas e até para políticos, visto que questões como a elevação e a poluição dos mares contribuem para o desenvolvimento de populações. É estudando o passado que os cientistas podem fazer uma projeção de como será o futuro do planeta Terra. Embora haja uma escassez de estações e recursos para os cientistas, os mesmos utilizam-se de modelos pra se ter uma boa noção e realizar projeções para a mudança climática na região Antártica, região essa ímpar e importante para o equilíbrio do clima das outras regiões do globo. Para entender como funciona o planeta Terra tem-se que estudá-lo cada vez mais como um sistema,uma coleção de partes interdependentes ou esferas,como a litosfera, hidrosfera, criosfera, biosfera e atmosfera. Entender como essas esferas estão ligadas e como elas interagem melhora a nossa capacidade de prever como uma ou uma combinação delas pode mudar em resposta a forças externas causadas por exemplo, pelo advento de erupções vulcânicas, variabilidade solar ou atividades humanas. Para tentar preencher tais lacunas, as várias bases internacionais na Antártica buscam dados sobre o passado do continente. Retirando cilindros de gelo, os cientistas encontram pistas sobre como era o clima há várias décadas. Eles chamam esses blocos de “testemunhas”.Uma das partes mais remotas do sistema terrestre é a Antártica, um continente maior do que a Austrália ou a Europa. Nós não seremos capazes de entender completamente como o sistema Terra funciona sem o conhecimento abrangente dos processos físicos, biológicos, químicos e geológicos que ocorrem dentro e sobre a Antártica e no seu entorno Oceano Antártico. Este é um grande desafio, uma vez que esses processos ocorrem em alguns dos ambientes mais remotos e hostis na superfície da Terra. Correntes e ondas no oceano global e a atmosfera asseguram que a Antártica é afetada pelo que acontece em outros lugares do planeta. Da mesma forma, os processos oceânicos e atmosféricos garantem que o que acontece na Antártica pode afetar o resto do mundo. É o congelador do mundo. Como conclusão, mesmo com modernas tecnologias disponíveis, ainda tem-se um atraso no desenvolvimento e manutenção para que essas tecnologias sejam usadas para o levantamento de dados climáticos sobre a região Antártica. Uma iniciativa internacional e uma cooperação entre governos tornará viável a implementação de um sistema de observação, fazendo com que dados importantes cheguem aos cientistas e o processo de estudo seja mais eficiente.
Abstract: It is a challenge to say how Antarctica will be presented in the coming decades. With the environment changing, such changes are critical to scientists and even politicians, as issues such as pollution and high seas,contribute tothe development of populations. Studying the pastscientists can make a projection of how the future of planet Earth will be. Although there is a scarcity of stations and resources to the scientists, models are used to get a good feelingand perform projections for climate change in the Antarctic region, unique and important to the balance of the climate of other regions of the globe.To understand how planet Earth works we study it increasingly as a system,a collection of interdependent parts or spheressuch asthe lithosphere, hydrosphere, cryosphere, biosphere and atmosphere. Understanding how these spheres are connected and how they interact improves our ability to forecast how one or a combinationof them may changein responseto external forcings caused,for example,by the advent of volcanic eruptions,solar variability or human activities. To try to fill these gaps, several international bases in Antarctica seek information about thepast of the continent. Removing ice cores, scientists find clues about how the climate was decades ago. They call these blocks of "witnesses". One of the remotest parts of the Earth system is Antarctica, a continent larger than either Australia or Europe.We will not be able to fully understand how the Earth system works without comprehensive knowledge of the physical, biological, chemical and geological processes taking place within and above Antarctica and its surrounding Southern Ocean. That is a huge challenge given that these processes can take place among some of the remotest and harshest environments anywhere on the Earth’s surface.Currents and waves in the global ocean and the atmosphere ensure that Antarctica is affected by what happens elsewhere on the planet. Equally, ocean and atmospheric processes ensure that what happens in Antarctica may affect the rest of the world. It is the world’s freezer.In conclusion, even withmodern technologyavailable, yetit has beena delayin the developmentandmaintenanceforthese technologies to beusedfordata collectiononclimateAntarctic region. An international initiativeand cooperationbetween governmentsmakefeasiblethe implementation ofan observation system, so that important data come toscientists andsostudy process can bemore efficient.
URI: http://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/000004/00000417.pdf
http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/451149
Aparece nas coleções:Hidrografia e Navegação: Coleção de Trabalhos de Conclusão de Cursos
Operações Navais: Coleção de Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
00000417.pdf2,41 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.