Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843300
Título: O novo papel das forças armadas chilenas em caso de desastres naturais.
Orientador(es): Roshina, Moacir de Oliveira
Autor(es): Yáñez Orsola, Rodolfo Jorge
Palavras-chave: J13 - OPERAÇÕES HUMANITÁRIAS (DGPM-305)
Desastres naturais
Gestão de riscos
Proteção de civis
Segurança interna
Chile - forcas armadas
Data do documento: 2012
Editor: Escola de Guerra Naval
Descrição: O Chile é extremamente vulnerável a desastres naturais, principalmente pelo fato de estar localizado entre as placas tectônicas de Nazca e Sul-americana. Devido a isso o Estado tem estabelecido um Sistema de Proteção Civil para gestão de riscos de desastres, no entanto, o terremoto e tsunami que afetaram o Chile em 2010 permitiram constatar as deficiências do sistema e necessidade de estabelecer um papel adequado para as Forças Armadas em situações de desastres naturais.O ano 2011 o Governo de Chile apresentou um Projeto de Lei para estabelecer um novo Sistema de Emergência e Proteção Civil, que considera, entre outros aspectos, a participação das Forças Armadas, mas não indica claramente quais são as tarefas de atribuídas a essas instituições. Devido a isso a importância deste trabalho, o qual tem como objetivo geral, descrever o papel atual das Forças Armadas do Chile em apoio dos desastres naturais, e em base as experiências obtidas em 2010, analisar o papel e tarefas que estas instituições deveriam ter no novo Sistema de Emergência Nacional e Proteção Civil.O trabalho está fundamentado em pesquisa bibliográfica e documental por meio de técnicas indiretas e de análise dos dados obtidos, sendo estruturado em quatro capítulos. Como síntese deste trabalho pode-se assinalar que, analisados os antecedentes apresentados, as Forças Armadas chilenas deveriam cumprir, em caso de desastres naturais, as tarefas descritas a seguir: Na fase de prevenção apoiar a elaboração do planejamento e de estudos de vulnerabilidade; realizar atividades de educação da comunidade em relação a desastres. Durante a fase de resposta, efetuar a busca e resgate de pessoas; estabelecer sistemas alternativos de comunicações; efetuar o apoio logístico e médico. Durante fase de recuperação transportar materiais para as áreas afetadas e apoiara construção de instalações necessárias para este processo.Essas tarefas deveriam estar claramente estabelecidas no Projeto de Lei para a criação do novo Sistema Nacional de Emergência e Proteção Civil. Caso não sejam estabelecidas no Projeto de Lei, ainda deveriam ser consideradas no planejamento e preparação das Instituições da Defesa Nacional, dado que, com base nas lições aprendidas em 2010, poderão ser executadas em um próximo desastre natural.
URI: http://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/00000b/00000bfd.pdf
http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843300
Aparece nas coleções:Fuzileiros Navais: Coleção de Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
00000bfd.pdf212,37 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.