Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843523
Título: A participação da Marinha do Brasil na força-tarefa marítima da operação do Líbano: projeção de poder e política externa.
Orientador(es): Oliveira Neto, Manoel Fernandes
Autor(es): Gonçalves, Luis Claudio Veloso
Palavras-chave: Nações Unidas - Conselho de Segurança
J11 - OPERAÇÕES DE PAZ (DGPM-305)
Política externa Brasil
Projeção de poder Brasil
Data do documento: 2017
Editor: Escola de Guerra Naval
Descrição: Este trabalho objetiva analisar a contribuição da participação da Marinha do Brasil (MB) na Força-Tarefa Marítima (FTM) da Missão de Paz Interina no Líbano (UNIFIL) para a Política Externa Brasileira. Há seis anos,a ONU entregou ao Brasil o comando da FTM-UNIFIL, atribuindo à MB o status de instituição - referência por liderar, com eficácia, a primeira e única Força Naval estabelecida sob a égide das Nações Unidas. Inicialmente, são analisadas as relações de poder entre os Estados, com suporte das teorias de política internacional realista e liberal, para quantificar, empiricamente, os poderes de coação (hardpower) e cooperação (softpower)do Brasil no sistema internacional. Em seguida, são identificadas as características das operações de paz, bem como a estratégia dos governos brasileiros de inserção internacional e projeção de poder, por meio da participação nessa operação militar internacional, para postular um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. São descritas as particularidades das operações da MB no complexo tabuleiro político do Oriente Médio, bem como a percepção de importantes teóricos, políticos, militares e diplomatas sobre a contribuição do Poder Naval brasileiro na FTM-UNIFIL para a política externa. Conclui-se que a participação da MB na Força-Tarefa Marítima da UNIFIL contribui para a inserção do Brasil no cenário internacional, sendo um importante instrumento de política externa que o mantém em condições de pleitear um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.
Abstract: This paper aims to analyze the contribution of the Brazilian Navy participation in the Maritime Task Force (MTF) ofthe United Nations Interim Force in Lebanon (UNIFIL) to the Brazilian Foreign Policy. Six years ago, the UN handed over the command of MTF-UNIFIL to Brazil, giving Brazilian Navy the status of a reference institution for effectively leading the first and only United Nations Naval Force. Initially, power relations between States,supported by realist and liberal international political theories,are analyzed to quantify, empirically, the Brazilian hard power andsoft power in the international system. Next, the characteristics of the peacekeepingoperations are identified, as well as the strategy of the Brazilian governments of international insertion and projection of power, through the participation in this international military operation, to apply for a permanent seat in the UN Security Council. The particularities of Brazilian Navy’s operations in the complex politicalboard of the Middle East are described, as well as the perception of important theoreticians, politicians, military and diplomats about the contribution of the Brazilian Naval Power in the MTF-UNIFIL for foreign policy. It is concluded that Brazilian Navy’s participation in the UNIFIL Maritime Task Force contributes to Brazil's insertion in the international arena, being an important foreign policy instrument that maintains it able toclaim a permanent seat in the UN Security Council.
URI: http://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/00001a/00001aba.pdf
http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843523
Aparece nas coleções:Fuzileiros Navais: Coleção de Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
00001aba.pdf875,26 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.