Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843529
Título: A geopolítica da China e sua expansão para o mar do Sul da China:possíveis interferências e ensinamento para a Marinha do Brasil/Antonio César Portela Marques ; orientador:Alceu Oliveira Castro Jungstedt
Orientador(es): Jungstedt, Alceu Oliveira Castro Orientador
Autor(es): Marques, Antônio César Portela
Palavras-chave: 320.120 22
T10 - GEOPOLÍTICA (DGPM-305)
Geopolítica China
Data do documento: 2017
Descrição: Apresentada à Escola de Guerra Naval, como requisito parcial para a conclusão do Curso de Política e Estratégia Marítimas.
Geopolítica, República Popular da China, Economia, Mar do Sul da China, Soberania, Linhas de Comunicações Marítimas, Brasil.
O extraordinário crescimento econômico da República Popular da China nas últimas décadas, levou à mesma à condição de segunda maior economia do mundo nos dias atuais. Hoje, a República Popular da China possui intensas relações comerciais com Estados de todo s os continentes. Dessa forma, qualquer problema que venha atingir a sua economia, acaba afetando a economia mundial. Nesse sentido, o mundo vê com preocupação os conflitos no Mar do Sul da China, devido às disputas por soberania de território marítimo, en volvendo a República Popular da China e alguns outros Estados banhados por aquele mar. O Mar do Sul da China, pela sua importância estratégica, tornou - se sobremaneira importante para o desenvolvimento da República Popular da China. Hoje, cerca de um terço do comércio marítimo do mundo passa pelo Mar do Sul da China, através das suas Linhas de Comunicações Marítimas. Diante desse cenário, a República Popular da China vem requerendo a soberania de todas as ilhas situadas no Mar do Sul da China, o que tem gera do tensões com outros Estados vizinhos, que também possuem pleitos de soberania no mesmo mar. Ano passado, o Tribunal Internacional de Haia, analisando um questionamento das Filipinas sobre a ocupação das ilhas do Mar do Sul da China pela Repúblic a Popular da China, julgou que a mesma não tem direito sobre as ilhas, au mentando as tensões na região. No caso do Brasil, a República Popular da China é a sua maior parceira comercial. Além disso, o Brasil mantém relações comerciais com outros países asiáticos no Pacífico Oeste. C erca de um terço do comércio exterior brasileiro passa pela pelas Linhas de Comunicações Marítimas do Mar do Sul da China. Dessa forma, qualquer fato que venha a causar a interrupção dessas Linhas de Comunicações Marítimas, afetaria negati vamente a balança comercial do Brasil. Portanto, mesmo sendo geograficamente longe, o Mar do Sul da China se aproxima do Brasil, pel a importância que o mesmo possui para o desenvolvim ento econômico brasileiro. Daí, encontra - se a motivação deste estudo, que foi identificar e analisar as possíveis interferências e os ensinamentos, que os conflitos originados diante da expansão da República Popular da China pelo Mar do Sul, teriam para o Brasil e para a Marinha do Brasil.
Abstract: The extraordinary economic growth of the People's Republic of China in recent decades has led to it being the second - largest econom y in the world today. Today, the People's Republic of China has extensive trade relations with States from all continents. In this way, any problem that may hit your economy, ends up affecting the world economy. In this regard, the world views with concern the conflicts in the South China Sea, due to disputes over sovereignty of maritime territory, involving the People's Republic of China and some other states bathed by that sea. The South China Sea, for its strategic importance, has become extremely import ant for the development of the People's Republic of China. Today, about a third of the world's maritime trade passes through the South China Sea through its Maritime Communications Lines. Given this scenario, the People's Republic of China has been demandi ng the sovereignty of all the islands located in the South China Sea, which has generated tensions with other neighboring states, which also have sovereignty suits in th e same sea. Last year, the Hague International Tribunal, examining a question from the Philippines about the occupation of the South China Sea by the People's Republic of China, ruled that it was not entitled to islands, increasing tensions in the region. In the case of Brazil, the People's Republic of China is its largest trading partner. I n addition, Brazil has trade relations with other Asian countries in the Western Pacific. About one - third of Brazil's foreign trade passes through the South China Sea Maritime Communications Lines. In this way, any fact that would cause the interruption of these Maritime Communications Lines would negatively affect Brazil's trade balance. Therefore, even though it is geographically far away, the South China Sea is closer to Brazil, because of its importance for Brazilian economic development. Hence the moti vation of this study, which was to identify and analyze the possible interferences and the teachings, that the conflicts originated before the expansion of the People's Republic of China by the South Sea, would have for Brazil and for the Navy of Brazil.
URI: http://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/00001a/00001ad1.pdf
http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843529
Aparece nas coleções:Defesa Nacional: Coleção de Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.