Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843554
Título: Avaliação de risco para introdução de espécies exóticas e considerações sobre sistemas de tratamento de água de lastro
Orientador(es): Fernandes, Flávio da Costa
Autor(es): Rigoglio, Eduardo Giuseppe
Palavras-chave: V - CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (DGPM-305)
V3 - CIÊNCIA AMBIENTAL (DGPM-305)
Água de lastroTratamento-Avaliação de riscos
Espécie exótica
Organismos introduzidos.
Data do documento: 2018
Descrição: Dissertação (mestrado) - Programa Associado de Pós-Graduação em Biotecnologia Marinha IEAPM/UFF, Arraial do Cabo, 2018.
Bibliografia: p. 82-87.
A proposta principal deste trabalho é criar um mecanismo capaz de realizar uma categorização sobre o coeficiente de risco utilizando a similaridade ambiental calculada através de 2 parâmetros (salinidade e temperatura da água) entre os portos brasileiros e demais portos. Foram utilizados dois instrumentos: os “Formulários para informações relativas à água utilizada como lastro” e dados obtidos através do sítio eletrônico da ANTAQ com o objetivo de quantificar ou estimar o lastro descarregado em nossos portos. Através dos formulários foi possível determinar, exclusivamente, a origem dos navios (último porto visitado), a quantidade de navios que realizaram a troca oceânica, os portos estrangeiros que mais doaram água de lastro e os sistemas de tratamentos instalados nos navios. Paralelamente, analisamos os dados obtidos no sítio da ANTAQ através do método do cálculo do deslastro estimado. Como o número de formulários foi insuficiente para caracterizar a influência do volume deslastrado, utilizamos os volumes totais de deslastro estimados, para os anos de 2013 e 2016. Estes volumes tiveram valores em torno de 160 milhões de toneladas e 180 milhões de toneladas, respectivamente. Através destes, foi possível identificar e escolher três portos para realizar a avaliação de risco para introdução de espécies invasoras: porto de Tubarão, Santos e Paranaguá. Além de serem portos que estão entre os 10 maiores portos recebedores de água de lastro, foram portos que apresentaram dados ambientais disponibilizados pelo Programa GloBallast. Os resultados analisados foram utilizados para a classificação de risco, a qual é única para cada porto estudado. Apesar da pouca quantidade de formulários, foi possível verificar os sistemas de tratamento de água de lastro instalados nos navios que aportaram no Brasil em 2013 e 2016. Foi observado uma grande diferença nas informações descritas nos formulários recebidos nesses anos com relação aos sistemas de tratamento. A maioria das embarcações (2016) possuem a filtragem como um dos processos, sendo este acompanhado de outro processo para melhorar a eficiência dos sistemas instalados, sendo ultravioleta e eletrólise/eletro cloração as mais utilizadas.
Abstract: The main proposal of this work is to create a mechanism capable of performing a categorization on the risk coefficient using the environmental similarity calculated through 2 parameters (salinity and water temperature) between Brazilian ports and other ports. Two instruments were used: the " Ballast Water Reporting Forms" and data obtained through the ANTAQ website in order to quantify or estimate the ballast discharged at our ports. Through the forms, it was possible to determine exclusively the origin of the ships (the last port visited), the number of ships that carried out the oceanic exchange, the foreign ports which most donated ballast water and the treatment systems installed on the ships. At the same time, we analyzed the data obtained from the ANTAQ site using the estimated discharged calculation method. As the number of forms was insufficient to characterize the influence of the deballasted volume, we used the estimated total discharged volumes for the years 2013 and 2016. These volumes had values around 160 million tons and 180 million tons, respectively. Through these, it was possible to identify and select three ports to carry out the risk assessment for the introduction of invasive species: Tubarão, Santos and Paranaguá ports. In addition to being ports that are among the 10 largest ports receiving ballast water, they were ports that presented environmental data provided by the GloBallast Program. The results analyzed were used for the risk classification, which is unique for each port studied. Despite the small number of forms, it was possible to verify the ballast water treatment systems installed in the ships that arrived in Brazil in 2013 and 2016. A great difference was observed in the information described in the forms received in those years in relation to the treatment systems. Most of the vessels (2016) have filtration as one of the processes, and this is accompanied by another process to improve the efficiency of the installed systems, being ultraviolet and electrolysis / electrochlorination the most used.
URI: http://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/00001b/00001b76.pdf
http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843554
Aparece nas coleções:Ciência, Tecnologia e Inovação: Coleção de Dissertações

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
00001b76.pdf13,35 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.