Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/451198
Título: Gerenciamento da água de lastro e sedimentos de navios e a bioinvasão
Orientador(es): Lobo, Paulo Roberto Valgas
Autor(es): Menezes, Paulo Martinho Lemos
Palavras-chave: Poluição de água
Poluição hídrica
Poluição marítima
Água de lastro
Data do documento: 2013
Editor: Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (CIAGA)
Descrição: O presente trabalho tem como objetivo realizar uma avaliação do risco de invasão de agentes exóticos e patogênicos (suas consequências para a economia, meio ambiente e saúde) através do gerenciamento da água de lastro e sedimentos de navios, pois o movimento global da água de lastro é, dentre diversos outros, o vetor de transferência de tais organismos mais importante na atualidade. Segundo estimativas da IMO (Organização Marítima Internacional), de três a cinco bilhões de toneladas de água são transportadas entre os oceanos do mundo anualmente através do lastro dos navios. As condições desse transporte permitem que não somente a água seja transportada pelo lastro dos navios, como também uma infinidade de organismos que, sobrevivendo dentro dos reservatórios, são deslocados para outros ambientes costeiros havendo mudança de hemisfério. Esse transporte de elementos exóticos possui reflexo direto nos ecossistemas das grandes regiões de conexão do comércio internacional. É, portanto, pertinente que se tenha conhecimento das legislações nacional –NORMAM 20 (Norma da Autoridade Marítima) que trata do gerenciamento da água de lastro de navios em águas brasileiras –e internacional –Convenção Internacional para o Controle e Gerenciamento da Água de Lastro e Sedimentos de Navios –acerca da questão no sentido de entender os esforços dos governos para combater essa bioinvasão.
Abstract: The present essay aims to carry out an evaluation of the risk of invasion of exotic and pathologic agents (its consequences to economy, environment and health) through ship ballast water management, since the global movement of ship ballast water is, amongst a number of other, the most significant transference vector nowadays. According to IMO (International Maritime Organization) estimates, three to five billion tons of water are transported annually through ship ballast water. This transport conditions allow not only the water to be transported, as well as countless organisms that, once surviving within the reservoirs, are misplaced in unusual coastal environments. This transport of exotic elements reflects directly on the ecosystems of the great international trade connection areas. It is, therefore, pertinent that national –NORMAM 20 (Maritime Authority Norm) which regulates the management of ship ballast water in Brazilian Waters -and international legislation –Ballast Water Management Convention -be known in regard to comprehending governments’ efforts to combat this bio-invasion.
URI: http://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/000004/00000410.pdf
http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/451198
Aparece nas coleções:Sem título

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
00000410.pdf923,3 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.