logo-ri

Repositório Institucional da Produção Científica da Marinha do Brasil (RI-MB)

Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/845995
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCarvalhaes, Ricardo Russopt_BR
dc.contributor.authorBiggi, Bruno da Silva-
dc.date.accessioned2023-03-20T17:07:09Z-
dc.date.available2023-03-20T17:07:09Z-
dc.date.issued2022-
dc.identifier.urihttps://www.repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/845995-
dc.descriptionAs relações internacionais sofreram mudanças consideráveis no século XX. A relevância da Teoria Realista diminuiu com o surgimento de outros atores, e, devido ao incremento das relações comerciais e econômicas, a prioridade do uso da força para resolver as relações entre os Estados foi colocada à prova. Sendo assim, a Teoria da Interdependência Complexa surgiu para se contrapor à Teoria Realista, que até então se mostrava predominante na análise das relações interestatais. Durante a sua trajetória, a Interdependência Complexa sofreu várias críticas no sistema internacional durante os períodos de crises, sendo a última a crise econômica de 2008. Sendo assim, o continente africano e, especificamente, a República de Angola despontaram como regiões de interesse para os chineses e para os estadunidenses. Em face desse cenário, o propósito desta pesquisa é analisar, à luz da teoria sobre a Interdependência Complexa, as relações sino-angolana e os Estados Unidos da América e a República de Angola. Para tanto, destacam-se os principais acontecimentos que marcaram a história e o relacionamento entre os países, a fim de responder à questão sobre as relações entre a República de Angola e as Grandes potências do mundo, China e EUA, para atestar se há aderências com a Teoria da Interdependência, após a crise econômica de 2008. Para alcançar esse objetivo, estabeleceu-se como desenho da pesquisa o confronto da teoria com a realidade, utilizando-se como fundamentação a teoria da Interdependência Complexa de Robert O. Keohane e Joseph S. Nye. Assim, foi possível observar que as relações de interdependência sino-angolana e dos Estados Unidos e Angola aumentaram muito após a crise econômica de 2008. Dessa maneira, como resultado, concluiu-se que as relações, anteriormente citadas, estão cada vez mais aderentes à teoria utilizada.pt_BR
dc.descriptionApresentado à Escola de Guerra Naval, como requisito parcial para a conclusão do Curso de Estado Maior para Oficiais Superiores (C-EMOS 2022)-
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherEscola de Guerra Naval (EGN)pt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectTeoria da Interdependência Complexapt_BR
dc.subjectAngolapt_BR
dc.subjectRelações internacionaispt_BR
dc.subjectRelações sino-angolanaspt_BR
dc.subjectRelações Angola e Estados Unidospt_BR
dc.titleSobrevivendo entre os gigantes: a Interdependência Complexa nas relações de Angola com a China e com os Estados Unidos da Américapt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR
dc.subject.dgpmGeopolíticapt_BR
Appears in Collections:Defesa Nacional: Coleção de Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CEMOS2022_BIGGI.pdf397,87 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.