logo-ri

Repositório Institucional da Produção Científica da Marinha do Brasil (RI-MB)

Please use this identifier to cite or link to this item: https://www.repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/844121
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributorMartinez, Sabrina Teixeira.-
dc.contributorCoutinho, Ricardo.-
dc.contributorSimpósio de Biotecnologia Marinha (001.:2018:Arraial do Cabo)-
dc.contributor.authorCantarino, Sarah de Jesus-
dc.contributor.authorMartinez, Sabrina Teixeira-
dc.contributor.authorCoutinho, Ricardo-
dc.contributor.authorSimpósio de Biotecnologia Marinha (001.:2018:Arraial do Cabo)-
dc.date.accessioned2019-09-10T16:41:05Z-
dc.date.available2019-09-10T16:41:05Z-
dc.date.issued2018-
dc.identifier.urihttp://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/00001b/00001bd7.pdf-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/844121-
dc.descriptionCaulerpina é um alcaloide bisindólico descrito como substância majoritária do gênero C au le rpa . Atualmente é alvo de grande interesse e tem sido destacada com o possível novo fármaco contra doenças inflamatória s e dor. Contudo, os métodos de extração da caulerpina e seus rendimentos variam na literatura o objetivo deste trabalho é comparar estes métodos. Para tanto, a al ga Caulerpa racemosa foi coletada, seca à temperatura ambiente e posteriormente submetida aos seguintes m étodos de extração: Maceração dinâmica (MA), Soxhle t (SX), assistida por Ultrassom (UL) e assistida por Micro-ondas (MO). Todos empregaram como solvente o metanol na proporção de 10 mL/g de alga seca. Os pa râmetros de comparação foram: tempo, temperatura, rendimento do extrato, presença e rendimento de cau lerpina. A confirmação da presença de caulerpina fo i verificada em todos os extratos por análise de Crom atografia em Camada Delgada (CCD) com placas de síl ica gel e por medidas de absorbância de espectros de UV . A banda mais intensa de caulerpina na CCD foi verificada na extração MO. Tal resultado foi corrob orado pela espectrofotometria UV. Os valores de absorbância dos característicos da caulerpina foram maiores no ext rato de MO, seguidos pelo SX, enquanto as amostras de MA e UL obtiveram valores semelhante s. O extrato que apresentou o maior rendimento de caulerpina foi o MO. O extrato SO apresentou rendim ento abaixo de MO e maior que MA e UL. O extrato UL, apesar de ter sido realizado em 21 minutos, tem po muito inferior à MA (72h), teve capacidade de ex tração semelhante. Assim, o método de extração assistida p or Micro-ondas foi o mais eficaz devido à maior intensidade da banda de caulerpina presente no CCD e nos maiores valores de absorbância no espectro em UV.en_US
dc.language.isoengpt_BR
dc.publisherInstituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM)pt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectAlga Marinhapt_BR
dc.subjectCaulerpapt_BR
dc.titleComparação de métodos de extração do alcaloide bis-indólico Caulerpina extraído de Caulerpa racemosa (Forsskål) J.Agardh 1873pt_BR
dc.typejournalArticlept_BR
dc.subject.dgpmBiotecnologia marinha-
Appears in Collections:Ciência, Tecnologia e Inovação: Coleção de Artigos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
00001bd7.pdf9,19 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.